Como conquistar mais clientes

No blog do Sebrae, vejo muita gente com dúvidas sobre como construir uma carteira de clientes do zero, reclamando que o movimento está ruim ou querendo saber como ampliar a carteira de clientes.

Escrevi este artigo para essas pessoas. Nele, eu mostro como você, proprietário ou administrador de uma pequena empresa, pode usar algumas ferramentas na Internet, para ajudá-lo a atrair mais clientes.

A ideia básica é entender e aprender a encontrar mais dos seus clientes ideais. Nesse contexto, a Internet será usada como ferramenta de apoio à sua pesquisa de mercado.

A) O que sua empresa faz

Seu negócio precisa fornecer um bom produto ou serviço. Ponto final.

Se ele não faz isso, nem continue a ler este artigo.

B) Por que ela faz

A sua empresa precisa de clientes. Talvez, não de todos, mas tenha o seguinte em mente:

Sem clientes, não existe negócio. Assim, sempre coloque-se no lugar do seu cliente e veja tudo da perspectiva dele.

Seu website, seu blog, sua página no Facebook e etc, não giram em torno de você. Eles giram em torno do seu cliente e como o que você faz pode ajudá-lo.

C) Quem são os seus clientes

Se você já tem uma carteira de clientes, pense em quem são os seus melhores clientes e enumere as características que eles têm em comum. Você quer mais desses clientes ideais.

Caso ainda não tenha uma carteira, Leia mais…

Seu site é em Flash? Isso pode estar matando o seu negócio…

É muito comum encontrar sites feitos inteiramente em Flash, especialmente os de pequenos negócios. Descubra se o seu site é um desses e conheça as desvantagens dessa tecnologia para os seus clientes e para você.

Identificando se o seu site é foi feito em Flash

1. Acesse o seu site;

2. Clique com o botão direito do mouse sobre o seu site e observe quais opções são exibidas. Procure clicar em partes e páginas diferentes do site. Se entre as opções exibidas aparecer um “Sobre o Adobe Flash Player XYZ”, como nas imagens a seguir, seu site foi feito em Flash.

 

Conhecendo as desvantagens

1. O visitante não consegue referenciar/acessar diretamente páginas importantes do seu site

Suponha que você tenha um escritório de arquitetura+design de interiores bem sucedido e que o site abaixo seja seu. Digamos que eu, como possível cliente, tenha gostado das fotos em “Apartamento para dois” e queira mostrar, para a minha namorada, o ótimo serviço que vocês fizeram nesse apartamento.

Como eu consigo o endereço direto para a página com as fotos, para enviar esse endereço para a minha namorada? Simples, eu não consigo. Se eu quiser mostrar esse trabalho específico, para qualquer um que eu conheça, a pessoa será obrigada a entrar na página principal do site e a “navegar” até a página das fotos novamente: Página principal > Português > 02 Os Nossos Clássicos > Apartamento para dois.

Com isso, tanto o visitante ficará inibido de falar sobre o trabalho de vocês quanto a pessoa que receber o link terá preguiça ou não conseguirá encontrar a informação. Veja o site abaixo, por exemplo: Leia mais…

Como usar a Internet para potencializar o seu negócio

O que você poderia fazer para divulgar melhor o seu negócio e aumentar as suas vendas, usando a Internet? Foi nisso que pensei ao escrever algumas sugestões para o meu primo. Ele é dono de uma pequena loja de games, no interior de São Paulo. Basicamente a loja vende consoles e jogos para videogames, além de artigos relacionados.

As sugestões são gerais o bastante para que você as use da forma como são ou que você as adapte (facilmente) ao seu tipo de negócio. Algumas dessas dicas são baseadas em minha própria experiência. Outras, na experiência de amigos que usam a Internet em seus negócios e na observação do que funcionou para outras empresas.

Vamos a elas:

1. Aprenda mais sobre o seu mercado

Como outras lojas de games, que têm uma melhor presença de Internet que a sua e que atendem as mesmas pessoas que você, usam a rede? Elas têm site? Blog? Loja Virtual? Página do Facebook? Perfil no Twitter? Vendem no Mercado Livre? Estão em algum grupo de discussão ou fórum?

Como é a “conversa” entre os clientes e essas lojas, em cada um desses canais de relacionamento? Do que eles gostam e do que eles não gostam? O que a sua loja poderia fazer de diferente e melhor?

Você pode encontrar todas essas informações procurando no Google, entrando nos sites/blogs de outras lojas, olhando no Facebook ou no Twitter das lojas, buscando em fórum de gamers (jogadores de videogame), …

2. Tenha algum endereço eletrônico “referenciável” e que possua informações sobre a sua loja

Seu endereço de e-mail no Gmail, não é esse endereço. Só olhando para ele, ninguém conseguirá saber com quais tipos de console você trabalha, qual é o horário de atendimento da loja, de que jogos vocês dispõe e etc.

Você tem, ao menos, um site em domínio próprio, um blog, uma conta no Mercado Livre, uma página do Facebook (com um endereço “bonito”, como http://www.facebook.com/MinhaLojaGames)? Como alguém conseguirá indicar a sua loja a outras pessoas na Internet ou mostrar com o que você trabalha?

3. Leia e responda os e-mails que receber

E outras mensagens via Twitter, Facebook ou o que for. Preciso comentar? Se você é do tipo que só usa o telefone para fazer ligações de venda (cold calling), mas que não atende o telefone para tirar alguma dúvida dos interessados em seus produtos, não é a Internet que vai ajudar você. A propósito, seu endereço de e-mail é o seu número de telefone na Internet.

Coloque-se no lugar da pessoa que está entrando em contato com você: como você gostaria de ser tratado? Com que rapidez você gostaria que respondessem a sua solicitação? Em 2 meses ou em 2 horas? Ótimo! Agora faça o mesmo que gostaria que fizessem com você.

4. Tenha um perfil ou página em uma rede social

Preferencialmente na que for mais usada pelas pessoas que a sua loja atende. Para aprender a se comportar na rede em questão, observe o que as demais lojas de games fazem. Leia mais…

Lamento informar, mas sua loja virtual não é segura

Uma imagem de ‘Certificado Loja Segura Autêntico’ não significa absolutamente nada, se a sua loja virtual não usa HTTPS para transferir os dados mais importantes!

Contando a história do início: há pouco mais de 6 meses, saí à procura de uma boa gráfica, para imprimir panfletos de divulgação da Onbiz. Sem a possibilidade de gastar uma pequena fortuna por cada milheiro impresso, perguntei a alguns amigos e, não obtendo nenhuma indicação, fiz a única coisa que uma pessoa sã faria: procurei no Google :-) . Foi então que eu conheci a empresa X.

Por que escrever “empresa X” e não o nome da empresa?

Por cortesia. Para preservar a identidade da empresa em questão. Este artigo tem a finalidade de alertar e orientar as empresas que possuem lojas virtuais e seus respectivos clientes. É sobre um problema comum e não uma crítica a uma empresa específica.

O que diabos é HTTPS e por que isso me interessa?

Na maior parte do tempo, as informações trafegam “desprotegidas” entre o navegador (browser) do seu cliente e o servidor onde está hospedada a loja virtual da sua empresa. Essa forma de comunicação, que acontece entre o navegador e o servidor, é a mais comum e é chamada de HTTP.

O HTTPS é versão “segura” do HTTP. Usando HTTPS, há a garantia de que ninguém conseguirá interceptar as informações transferidas entre o navegador do seu cliente e a sua loja virtual ou, caso alguém consiga, essa pessoa não será capaz de entender ou de utilizar tais informações. Elas estarão “criptografadas”. Para uma analogia simplista, neste contexto, é como se alguém traduzisse as informações de Português para um idioma que só o navegador do seu cliente e a sua loja virtual sabem falar. Nenhum outro navegador, servidor ou entidade, em todo o Universo, saberá falar ou conseguirá traduzir esse idioma.

E como eu sei se a loja está usando HTTPS?

Pelo começo do endereço que é exibido no navegador (browser). Quando o endereço começa com https://, a loja virtual e o navegador estão usando HTTPS para se comunicarem. Quando o endereço começa com http:// ou quando não aparece nenhum ://, a loja e o navegador estão usando HTTP. Alguns navegadores também exibem um cadeado próximo ao endereço https://, mas nem todos.

Abaixo algumas imagens de um navegador ao acessar a loja virtual da empresa X, que não usa HTTPS: Leia mais…

Como é um website atualizável pelo próprio dono

Quando falamos em construir um website ‘atualizável’ pelo próprio dono, ou seja, um site no qual você mesmo consiga atualizar textos, fotos e vídeos, é comum as pessoas não saberem bem do que se trata ou acharem que é algo muito complicado para elas usarem. Para esclarecer esses pontos e demonstrar que, na verdade, é tudo muito simples, resolvi escrever este artigo e recheá-lo de imagens sobre como são e como tais sites funcionam.

O artigo está dividido em 3 partes:

1. Quais são as vantagens de ter um website atualizável;
2. Como o seu website será visto pelos seus clientes;
3. Como você poderá alterar o conteúdo (textos, imagens e vídeos) do seu website.

Quais são as vantagens de ter um website atualizável

A principal vantagem em ter um website atualizável é que você não dependerá de um profissional de informática para alterar o conteúdo (textos, imagens e vídeos) do site para você. Tudo estará sob o seu controle ou sob o controle da pessoa que você contratar para fazer o marketing da sua empresa.

Nem você, nem o seu assessor (caso você tenha um) precisarão conhecer ou aprender nenhum detalhe sórdido de computação, como HTML, CSS, JS, PHP ou qualquer outra sopa de letrinhas. Saber usar um editor de texto, como o Microsoft Word, já será o suficiente.

Como o seu website será visto pelos seus clientes

É importante deixar bem claro que o website pode ter a aparência que você quiser, algo profissional e muito bonito, e, ainda assim, permitir que você mesmo altere textos e imagens.

O site não precisa ter um aspecto pobre, parecido com o de uma folha de papel sulfite escrita com canetinhas coloridas ou com uma espécie de caderno de classificados, como os que existem por aí. Se alguém disser que o seu website precisa ser “feio”, para que você consiga atualizar textos e fotos, fuja desse profissional a passos largos! Feio e simples são coisas diferentes. Ele, provavelmente, não sabe o que está fazendo ou é preguiçoso demais para fazer um bom trabalho.

Abaixo algumas imagens de sites atualizáveis. Elas foram cedidas pela Studio Fast e são de temas para WordPress (falaremos sobre isso mais à frente).

Todas as imagens são de sites nos quais o próprio dono consegue alterar itens como as imagens de destaque, o texto de boas-vindas, dados de contato, títulos e descrições de produtos e serviços e etc. Repare que essas são apenas algumas possibilidades. O seu website terá a aparência mais adequada ao seu negócio, a mais agradável aos seus clientes e a você.

Como você poderá alterar o conteúdo (textos, imagens e vídeos) do seu website

Leia mais…

Apareça no Google. Crie notas no Facebook!

Notas no Facebook e visibilidade no Google

Produzir conteúdo relevante é uma das formas de fazer com que o website da sua empresa se destaque mais no Google, tornando o seu negócio mais conhecido. É o chamado Marketing de Conteúdo.

Quando escrevo produzir conteúdo relevante, refiro-me a publicar informações relacionadas ao seu ramo de atividade e que sejam importantes ou que interessem às pessoas que o seu negócio se propõe a ajudar, aos seus clientes. Afinal de contas, é tudo sobre eles e não sobre você. Só nessa mudança de postura, já há um grande ganho.

Se o seu negócio ainda não tem um website (saiba por que você precisa de um), ter uma Página do Facebook para o seu negócio e adicionar atualizações de status ou notas a essa página são formas baratas (“gratuitas”) e interessantes de se começar. Para aprender a criar uma Página do Facebook, leia este artigo.

No quesito visibilidade, a maior vantagem que uma Página do Facebook tem sobre um Perfil/Conta Pessoal é que o conteúdo produzido nas Páginas aparece no Google e o produzido nos Perfis, não. Simples assim. Veja a imagem abaixo, por exemplo. É o resultado da busca “sescon alerta novo golpe” (sem as aspas):

SESCON-SP altera sobre novo golpe

Caso você ainda esteja usando um Perfil do Facebook, para o seu negócio, saiba por que e como convertê-lo para uma Página do Facebook.

O que são e como criar as Notas

Notas são textos curtos, com um título de destaque “clicável” e que também podem incluir imagens. Você pode usar as Notas para responder a dúvidas comuns sobre os seus produtos e serviços ou sobre a sua área de atuação; para escrever um rápido tutorial; ou para alertar os seus clientes em potencial sobre um assunto que interesse a eles. Leia mais…

Conheça um de nossos projetos e saiba como isso pode ajudar você

cetefi.com.br

Você já visitou o novo site do CETEFI? Clique aqui, conheça o novo site e leia o depoimento do Profº Dr. Adávio de Oliveira e Silva, diretor do CETEFI, sobre o resultado do projeto com a Onbiz.

O que foi feito neste projeto e como isso pode ajudar você e o seu negócio

Muito do que foi feito para este projeto é aplicável ao seu caso, para melhorar a presença do seu negócio na Internet. Inclusive, alguns dos itens abaixo podem ser feitos diretamente por você, se preferir assim.

1. Criação de endereço de e-mail @cetefi.com.br

Ter um endereço de e-mail em domínio próprio (o @seunegocio.com.br) é mais adequado e ajuda na divulgação da sua marca e do seu negócio. Para conhecer outras vantagens ou saber como adquirir o seu endereço, clique e leia este artigo.

2. Configuração de webmail para receber e enviar e-mails usando o novo endereço @cetefi.com.br e o antigo endereço @terra.com.br

Ao mudar de endereço, nem todos conhecerão o seu novo endereço de e-mail. Além disso, o seu endereço antigo pode estar cadastrado em uma série de sistemas e sites. Para evitar problemas e tornar gradual a adoção do novo endereço, é possível receber os e-mails de todas as suas contas em uma única caixa de entrada. Clique aqui e aprenda como fazer isso.

3. Inclusão do CETEFI na listagem de negócios locais do Google (Google Places)

CETEFI no Google Maps

Quando alguém procura a sua empresa no Google Maps, o que ele encontra? Leia mais…

Conheça melhor os seus clientes

Público Alvo

Existe uma maneira melhor de conhecer o seu cliente do que perguntando a ele tudo o que você precisa saber? Então conheça algumas ferramentas de Internet que podem ajudá-lo a fazer as perguntas certas (e obter respostas), sem gastar nenhum tostão e sem incomodar os seus clientes:

 

Página do Facebook

Imagine se existisse um lugar “mágico”, no qual as pessoas pudessem se reunir e falar sobre o que gostam ou não no seu negócio. Ou onde elas pudessem conhecer melhor a(s) pessoa(s) que estão por trás da sua empresa: você, por exemplo. Não seria interessante conseguir colher opiniões imediatas sobre os produtos e serviços que você oferece? Ou detectar oportunidades para a criação de novos produtos? Ou aprender o que poderia ser melhorado no seu atendimento?

Pois é. Na Internet, existem vários desses locais “mágicos”. Falemos de um deles em particular: a sua página do Facebook. Para empresas e profissionais liberais, a sua página do Facebook é o “point” (local) no qual os usuários do Facebook podem se reunir para obter informações sobre o seu negócio e, ainda mais importante, onde os usuários podem falar sobre ele: perguntar, comparar, reclamar, elogiar e etc.

E você? Já tem uma página do Facebook para o seu negócio? Então aprenda a criar essa Página ou entenda os motivos pelos quais a sua empresa deve preferir uma Página a um Perfil do Facebook. Mas faça um favor a mim, aos seus clientes, aos fãs da sua empresa e a si mesmo: não seja um propagandista! Não use sua página para falar sobre você e sobre o seu negócio o tempo todo. Isso costuma ser muito chato.

É sobre os seus clientes e não sobre você. Publique conteúdo referente à sua área de atuação e relevante ao seu cliente. Faça perguntas e comentários inteligentes, que permitam que você conheça melhor os clientes e os fãs da sua empresa. Leia mais…

Seu endereço de e-mail não transmite profissionalismo ou credibilidade

Iniciante usando o computador

Na semana passada um amigo comentou sobre o assunto: uma loja do Subway, em Campinas, usando um endereço de e-mail do Yahoo, para atender os seus clientes. Como já vimos outros casos assim, especialmente de pequenas empresas, e muitos acontecem por falta de informação (enquanto outros acontecem por pura teimosia do dono :-( ), decidimos que valia a pena escrever este artigo.

Você é o proprietário de uma pequena empresa ou um profissional liberal e usa endereços de e-mail como seunegocio@hotmail.com ou seunegocio@gmail.com? Sabia que, da mesma forma que as grandes empresas ou que os concorrentes do seu negócio, você também pode usar endereços de e-mail como seunegocio@seunegocio.com.br ou atendimento@seunegocio.com.br?

Continue a ler e entenda por que ter endereços de e-mail em domínio próprio (o @seunegocio.com.br) é a melhor escolha e como você pode proceder.

Acho que o meu negócio não precisa de um endereço de e-mail

A escolha é sua, mas é provável que você esteja errado. Seu negócio deve estar onde o seu cliente está e usar os meios de comunicação que o seu cliente costuma usar e não os que forem mais fáceis para você.

Além de ser grande a chance de seus clientes em potencial já usarem a Internet para buscar informações sobre o seu negócio, o e-mail é uma das formas de comunicação mais usadas na Internet: receber e enviar e-mails é uma atividade desenvolvida por 78% dos usuários brasileiros. São 62 milhões de usuários de e-mail;

Se os clientes do seu negócio forem outras empresas, o cenário é ainda mais alarmante para você: de acordo com os indicadores do CETIC.br, das empresas que usam a Internet (98% das empresas entrevistadas), 92% o fazem para buscar informações sobre produtos e serviços, ou seja, informações sobre os seus produtos e serviços ou sobre os produtos e serviços dos seus concorrentes. Logo, ter um endereço de e-mail (e responder as mensagens recebidas) é o mínimo que se poderia esperar do seu negócio.

Eu nunca ouvi reclamações por meu endereço ser do Hotmail, do UOL, do Terra, …

Ótimo. Se o seu negócio ainda não tem muitos clientes ou se ele só atende pessoas físicas que não têm muita vivência em Internet ou que conhecem você por outros meios e já confiam em seus produtos ou serviços, talvez você não tenha perdido clientes em potencial por usar o seu endereço de e-mail atual. O fato é que seu endereço de e-mail é amador e transmite pouca ou nenhuma credibilidade a clientes em potencial, especialmente os que conheceram a sua empresa através da Internet.

Eu sei que toda empresa começa pequena. Só que ela não continuará tão pequena para sempre e, da mesma forma que você profissionaliza outros aspectos e atividades em sua empresa, o seu atendimento/vendas/suporte, através da Internet, também deve ser profissionalizado. O primeiro passo para isso é usar um endereço de e-mail em domínio próprio.

Por que ter um endereço de e-mail em domínio próprio é melhor?

(Se você ainda não sabe o que é um domínio de Internet, clique e leia este artigo)

1. Porque transmite mais informações, facilitando e melhorando a divulgação

Um simples endereço de e-mail, em domínio próprio, como contato@onbiz.com.br, transmite 3 informações importantes sobre o seu negócio: o endereço de e-mail em si (contato@onbiz.com.br), o nome ou a marca da sua empresa (Onbiz) e o endereço do website ou blog da empresa (http://onbiz.com.br ou www.onbiz.com.br).

E o que o endereço contato.onbiz@gmail.com diz sobre o endereço de seu website? Fica em www.onbiz.com.br, em www.onbizinternet.com.br, em www.empresaonbiz.blogspot.com, em www.onbiz.wix.com ou em que outro endereço?

2. Porque é menos confuso para o seu cliente e é mais fácil para ele lembrar Leia mais…

Por que você precisa de um website

Café e loja

O diálogo

Eu (enquanto olhava a estante da sala de um amigo):

- Sandro, faz tempo que você tem esse (videogame) XBox?

Sandro:

- Não. Comprei há pouco tempo.

Eu:

- Meu primo abriu uma loja de videogames aqui (cidade X), em janeiro ou fevereiro.

Sandro:

- Legal! O site da loja dele aparece no Google? Antes de comprar, ligamos para todas as lojas da cidade que apareciam no Google.

Eu (enquanto fazia a minha cara de quem já tinha avisado o meu primo):

- Não, a loja dele não tem website. Quem dirá aparecer no Google… :-(

Sandro:

- Então não ligamos para ele.

Essa é um história verídica. O Sandro e a Vanessa (a esposa dele) haviam se mudado há poucos meses e, além de conhecerem apenas o básico da cidade, não tinham tempo para “sair à caça” de uma loja de videogames.

Surpreendendo os mais céticos e os mais conservadores, a cidade X não é a capital de nenhum Estado brasileiro. É uma cidade do interior do Estado de São Paulo, com 350 mil habitantes.

A pergunta mais importante

Você conhece o seu cliente em potencial? Sabe quem é a pessoa a quem os seus produtos e serviços podem ajudar? Sabe quem se interessa por eles? E onde essa pessoa busca informações? Para quem ela pede indicações ou recomendações? Onde as pessoas nas quais ela confia buscam informações?

Por exemplo, a Onbiz é uma empresa de criação e hospedagem de websites e blogs voltada para atender pequenas empresas e profissionais liberais. Logo, se eu tivesse que decidir onde publicar informações sobre a empresa, eu não o faria em um jornal sobre carros ou em uma revista cujo assunto principal fosse cães. Eu usaria esses veículos de comunicação, respectivamente, se a Onbiz fosse uma concessionária de automóveis ou um pet shop.

Seu cliente tem mais de 25 anos? De acordo com os dados do CETIC.br, mais de 65% dos usuários brasileiros de Internet maiores de 25 anos já usaram a rede para buscar informações sobre bens e serviços. Se considerarmos apenas os usuários entre 25 e 59 anos, são mais de 70%. E os dados são de 2010, há 2 anos atrás! Acha que poucos brasileiros acessam a Internet? De acordo com o Internet World Stats, há quase 80 milhões de brasileiros usando a Internet, o que representa 39% da população nacional.

Se considerarmos os usuários de todas as idades, a cada 20 brasileiros, 5 usam a Internet para buscar informações sobre bens e serviços. E o que eles encontram sobre a sua empresa ou sobre os seus produtos e serviços? Fale com o seu cliente onde o ele está falando (e ouvindo) e não onde é mais cômodo para você!

Não é uma questão de propaganda “apenas”

Uma imagem do seu encarte, panfleto, banner ou cartão de visitas, em um endereço na Internet, não é um website. Isso aí é um encarte, um panfleto, um banner ou um cartão de visitas! Na melhor das Leia mais…