Como usar a Internet para potencializar o seu negócio

O que você poderia fazer para divulgar melhor o seu negócio e aumentar as suas vendas, usando a Internet? Foi nisso que pensei ao escrever algumas sugestões para o meu primo. Ele é dono de uma pequena loja de games, no interior de São Paulo. Basicamente a loja vende consoles e jogos para videogames, além de artigos relacionados.

As sugestões são gerais o bastante para que você as use da forma como são ou que você as adapte (facilmente) ao seu tipo de negócio. Algumas dessas dicas são baseadas em minha própria experiência. Outras, na experiência de amigos que usam a Internet em seus negócios e na observação do que funcionou para outras empresas.

Vamos a elas:

1. Aprenda mais sobre o seu mercado

Como outras lojas de games, que têm uma melhor presença de Internet que a sua e que atendem as mesmas pessoas que você, usam a rede? Elas têm site? Blog? Loja Virtual? Página do Facebook? Perfil no Twitter? Vendem no Mercado Livre? Estão em algum grupo de discussão ou fórum?

Como é a “conversa” entre os clientes e essas lojas, em cada um desses canais de relacionamento? Do que eles gostam e do que eles não gostam? O que a sua loja poderia fazer de diferente e melhor?

Você pode encontrar todas essas informações procurando no Google, entrando nos sites/blogs de outras lojas, olhando no Facebook ou no Twitter das lojas, buscando em fórum de gamers (jogadores de videogame), …

2. Tenha algum endereço eletrônico “referenciável” e que possua informações sobre a sua loja

Seu endereço de e-mail no Gmail, não é esse endereço. Só olhando para ele, ninguém conseguirá saber com quais tipos de console você trabalha, qual é o horário de atendimento da loja, de que jogos vocês dispõe e etc.

Você tem, ao menos, um site em domínio próprio, um blog, uma conta no Mercado Livre, uma página do Facebook (com um endereço “bonito”, como http://www.facebook.com/MinhaLojaGames)? Como alguém conseguirá indicar a sua loja a outras pessoas na Internet ou mostrar com o que você trabalha?

3. Leia e responda os e-mails que receber

E outras mensagens via Twitter, Facebook ou o que for. Preciso comentar? Se você é do tipo que só usa o telefone para fazer ligações de venda (cold calling), mas que não atende o telefone para tirar alguma dúvida dos interessados em seus produtos, não é a Internet que vai ajudar você. A propósito, seu endereço de e-mail é o seu número de telefone na Internet.

Coloque-se no lugar da pessoa que está entrando em contato com você: como você gostaria de ser tratado? Com que rapidez você gostaria que respondessem a sua solicitação? Em 2 meses ou em 2 horas? Ótimo! Agora faça o mesmo que gostaria que fizessem com você.

4. Tenha um perfil ou página em uma rede social

Preferencialmente na que for mais usada pelas pessoas que a sua loja atende. Para aprender a se comportar na rede em questão, observe o que as demais lojas de games fazem. Se estivermos falando de Facebook, por exemplo, visite as páginas do Facebook de outras lojas, veja qual é o tipo de conteúdo mais compartilhado e comentado. Veja quem são as pessoas que comentam, do que elas gostam e do que elas reclamam.

Essas pessoas têm o mesmo perfil de pessoas que a sua loja atende? Você consegue produzir/compartilhar esse mesmo tipo de informação? Então, vá em frente, mas lembre-se de ser interessante e humano! E se não souber por onde começar, veja como criar sua página do Facebook ou migrar o Perfil da sua empresa.

5. “Escute” o que as pessoas têm a dizer

Importe-se. Ajude-as. Aprenda. Esqueça os grandes números. Se você for pequeno, foque em ajudar 1 pessoa por vez e não em mandar mensagens de SPAM para 99999999999999. Entre em fóruns de gamers (jogadores de videogame) ou siga o perfil de gamers no Twitter e *ajude-os* quando eles não conseguirem encontrar informações sobre determinado game, ou não souberem onde comprar certo jogo, ou estiverem com problemas com a entrega ou não souberem como usar um novo equipamento. Use o seu conhecimento em benefício deles.

Interaja. Comente o que você achou sobre determinado jogo ou console, quando alguém perguntar. O que você gostou ou que não gostou? Como esse console se compara aos demais?

Se for o caso e você tiver o produto que a pessoa estiver procurando, diga isso a ela, mas não use esses canais (fóruns, grupos e redes sociais) para inundar as pessoas com propagandas sobre você ou sobre sua loja. Terá o efeito contrário ao esperado. Conquiste um fã, um amigo e/ou um cliente de cada vez. Faça por merecer.

6. Produza e compartilhe conteúdo relevante em sua área de atuação

Crie videozinhos com reviews ou dicas de jogos. Coloque-os no canal do YouTube da loja ou em sua página do Facebook. Compartilhe outros vídeos que achar interessantes e que tenham relação com videogames.

Ou produza um blog com esse mesmo tipo de informação. Traduza artigos de outros sites e blogs (com as devidas referencias às fontes originais), para ajudar os jogadores que não souberem ler textos inglês. Crie uma tabela de classificação dos últimos jogos que você experimentou. Poste fotos e comentários das feiras e eventos especializados que visitou.

7. Se tiver uma sede física, coloque o seu endereço em algum sistema de mapas

Esse tipo de serviço permite que os visitantes de Internet encontrem você, quando estiverem procurando uma loja de games na sua região. Sugiro começar com o Google Places. Clique e veja como fazer isso.

8. Tenha uma loja ou vitrine virtual em algum lugar na Internet

E um endereço de e-mail (ou número de telefone VoIP ou conta de chat) que você acesse regularmente. No caso da loja virtual, você pode começar com um Blog ou uma loja virtual simples e em domínio próprio ou uma conta no Mercado Livre. Se optar pelo Mercado Livre, como há muita gente lá, o melhor seria tentar se diferenciar tendo um bom atendimento “local”, especialmente se a sua loja tiver uma sede física. Acontece que há muitas pessoas que querem comprar pela Internet, mas retirar os produtos na loja física e boa parte dos vendedores não permite isso (fazem apenas venda via Internet e entrega através dos Correios).

Se você focar em vender para clientes de cidades da sua região, provendo bom atendimento, entrega rápida e a possibilidade do comprador retirar o produto na loja, pode acabar a milhas de distância de outras lojas e vendedores.

À medida que o negócio se tornar lucrativo, pode pensar em partir para uma solução mais “robusta” de loja virtual própria, fora do Mercado Livre, e com todos os processos automatizados.

Quando for usar as sugestões acima, alguns pontos para se ter em mente:

A) Entenda os seus clientes ou as pessoas que você quer atender

Importante para qualquer tipo de negócio, quer ele aconteça pela Internet ou não. Quem são as pessoas que compram de você? Que tipo de site elas freqüentam? De que tipo de informações elas gostam e como elas preferem receber essas informações? Por exemplo, sua loja vai focar nos “jovens adultos”? Pessoas que passaram sua infância/adolescência jogando e que ainda hoje têm videogames? Ou você deseja vender os joguinhos para crianças e adolescentes de hoje?

Por que isso importa? Porque se a sua loja vai atender os pequenos, talvez uma página no Facebook não seja a melhor forma de chegar até eles. Ou, talvez, você precise fazer tudo tendo em mente que são os pais que verão a sua página e não os filhos. Se a sua loja for atender os adolescentes de hoje, é provável que a sua forma de falar/escrever ou as suas referências (citar coisas como pitfall, Sonic ou Supermario) estejam completamente desatualizadas.

B) Ninguém conhece o seu negócio melhor do que você

Se você fez (e faz) o seu dever de casa adequadamente, isso é verdade. Portanto teste as dicas de especialistas e adapte-as ao seu negócio e ao seu mercado, quando necessário. Mas dê uma chance honesta às sugestões: procure entender como elas funcionam e use-as por tempo o suficiente para avaliar se estão produzindo os resultados esperados ou não.

Por exemplo, não adianta dizer que blogs não funcionam se você escreveu 3 posts (e muito do “meia boca”), há 1 ano atrás. Ou que redes sociais não servem para nada, se você é uma daqueles malas que só sabe falar/escrever sobre si mesmo e sobre o seu negocio, um outro adepto do “propagandismo”.

C) Quando tiver dúvidas, pergunte!!!

Impossível saber de tudo e fazer tudo bem. Fale com outros pequenos proprietários que já tomaram ações parecidas. Veja o que funcionou para eles. Peça ajuda aos especialistas (os de verdade). Contrate um consultor de confiança.

No caso da loja de games, conheça outras lojas de games que vendem pela Internet e que atendam um público parecido com o seu . Não adianta ficar olhando outras lojas que só fazem venda física/presencial, de donos que têm aversão à Internet ou que atendam pessoas totalmente diferente das que você atende.

D) Não seja preguiçoso

Se você não quiser contratar alguém para fazer o trabalho por você, ótimo! Mas arranje tempo, estude, aprenda, faça, avalie o resultado e recomece até “ficar bom na coisa”. Levante-se e mexa-se. Tudo o que vale a pena ou custa dinheiro ou custa tempo. Não existe nada de graça *e* que não demande esforço nenhum. Terá que escolher entre um dos dois.

O maior exemplo do “fazer de graça e sem saber o que está fazendo” são as horríveis lojas virtuais do tipo “faça você mesmo” que existem por aí. Sem a menor preocupação com coisas básicas, como: se a loja ela tem boa aparência; se o visitante conseguirá obter e compartilhar o link de um produto específico; se o processo de comprar funciona em todos os navegadores; se as informações de contato poderão ser copiadas e coladas; se o Google terá facilidade para processar as informacoes do site; se o site funcionará no tablet ou smartphone do visitante; etc. Meu conselho profissional sobre o assunto? Fuja de qualquer solução que não te deixe usar um domínio próprio, fuja de tecnologias como Flash e evite colocar os textos mais importantes do seu site (por exemplo, informações de contato) dentro de imagens.

E) Comece pequeno

Você não precisa tentar fazer tudo de uma vez. Comece pequeno e vá ampliando a sua atuação na Internet aos poucos.

 

Se precisar, estamos aqui para ajudá-lo! É só chamar.

Leia também:

Daniel Henrique Alves Lima

Atualmente, dedico-me a ajudar pequenas empresas a começarem na Internet ou a melhorarem sua presença na web, através de seus sites e blogs, construindo uma boa e reputação online. Esta servirá para se aproximarem de seus clientes atuais e para alcançarem novos clientes, gerando mais negócios.

Saiba mais sobre mim no site da Onbiz ou acessando meu blog pessoal.

Mais posts

Siga-me:twitterlinkedin

Nenhum comentário

Deixe um comentário


dois + 9 =