Por que você precisa de um website

Café e loja

O diálogo

Eu (enquanto olhava a estante da sala de um amigo):

- Sandro, faz tempo que você tem esse (videogame) XBox?

Sandro:

- Não. Comprei há pouco tempo.

Eu:

- Meu primo abriu uma loja de videogames aqui (cidade X), em janeiro ou fevereiro.

Sandro:

- Legal! O site da loja dele aparece no Google? Antes de comprar, ligamos para todas as lojas da cidade que apareciam no Google.

Eu (enquanto fazia a minha cara de quem já tinha avisado o meu primo):

- Não, a loja dele não tem website. Quem dirá aparecer no Google… :-(

Sandro:

- Então não ligamos para ele.

Essa é um história verídica. O Sandro e a Vanessa (a esposa dele) haviam se mudado há poucos meses e, além de conhecerem apenas o básico da cidade, não tinham tempo para “sair à caça” de uma loja de videogames.

Surpreendendo os mais céticos e os mais conservadores, a cidade X não é a capital de nenhum Estado brasileiro. É uma cidade do interior do Estado de São Paulo, com 350 mil habitantes.

A pergunta mais importante

Você conhece o seu cliente em potencial? Sabe quem é a pessoa a quem os seus produtos e serviços podem ajudar? Sabe quem se interessa por eles? E onde essa pessoa busca informações? Para quem ela pede indicações ou recomendações? Onde as pessoas nas quais ela confia buscam informações?

Por exemplo, a Onbiz é uma empresa de criação e hospedagem de websites e blogs voltada para atender pequenas empresas e profissionais liberais. Logo, se eu tivesse que decidir onde publicar informações sobre a empresa, eu não o faria em um jornal sobre carros ou em uma revista cujo assunto principal fosse cães. Eu usaria esses veículos de comunicação, respectivamente, se a Onbiz fosse uma concessionária de automóveis ou um pet shop.

Seu cliente tem mais de 25 anos? De acordo com os dados do CETIC.br, mais de 65% dos usuários brasileiros de Internet maiores de 25 anos já usaram a rede para buscar informações sobre bens e serviços. Se considerarmos apenas os usuários entre 25 e 59 anos, são mais de 70%. E os dados são de 2010, há 2 anos atrás! Acha que poucos brasileiros acessam a Internet? De acordo com o Internet World Stats, há quase 80 milhões de brasileiros usando a Internet, o que representa 39% da população nacional.

Se considerarmos os usuários de todas as idades, a cada 20 brasileiros, 5 usam a Internet para buscar informações sobre bens e serviços. E o que eles encontram sobre a sua empresa ou sobre os seus produtos e serviços? Fale com o seu cliente onde o ele está falando (e ouvindo) e não onde é mais cômodo para você!

Não é uma questão de propaganda “apenas”

Uma imagem do seu encarte, panfleto, banner ou cartão de visitas, em um endereço na Internet, não é um website. Isso aí é um encarte, um panfleto, um banner ou um cartão de visitas! Na melhor das hipóteses, se usada a tecnologia adequada, permitindo que buscadores como o Google, o Yahoo ou o Bing encontrem essas informações, isso é um hotsite. Um website é mais do que isso. Um website não serve “apenas” para divulgar ou para fazer propaganda.

Responda às seguintes perguntas:

1. Quando você está dormindo ou quando o telefone do seu estabelecimento está ocupado,

1.1. quem “atende” seus clientes em potencial, tirando dúvidas sobre os produtos e serviços que você oferece?

1.2. quem diz qual é o endereço do seu estabelecimento ou formas alternativas de entrar em contato com você, como outros telefones, endereço de e-mail, formulário de contato, número VoIP, endereços nas redes sociais e etc?

1.3. quem explica a seus clientes, através de manuais e tutoriais, como usar os seus produtos?

1.4. quem fala sobre suas promoções mais recentes ou sobre as melhores condições de pagamento disponíveis?

2. Onde ficam os depoimentos dos seus clientes sobre você ou sua empresa? Onde ficam os vídeos ou textos com os clientes falando sobre a qualidade do seu produto, sobre o seu serviço impecável ou sobre o seu ótimo atendimento?

3. Onde você publica notícias, artigos ou matérias que interessem a seus clientes e referentes à sua área de atuação, tornando você uma referência (um expert) para eles? É fácil você dizer que é o melhor em sua área. Mas é mais eficiente provar isso divulgando e compartilhando seu conhecimento. Conhecimento esse que ajudará outras pessoas.

4. Como você coleta informações sobre o seu cliente ou cliente em potencial (como preferências, áreas de interesse, faixa etária, grau de escolaridade, cidade na qual reside, etc e etc)? Essas informações são vitais para entender melhor quem ele é e desenvolver produtos sob medida, oferecer a ele serviços complementares e readequar algum produto/serviço existente.

5. Qual é o canal que a sua empresa disponibiliza para que o cliente possa reclamar dela a qualquer momento? Prefere que o cliente insatisfeito reclame por e-mail ou via formulário de contato ou que ele saia anunciando por aí, em blog pessoais, redes sociais e sites especializados em reclamações, para quem quiser ouvir? Uma reclamação é, normalmente, a indicação de algo (e do quê) precisa melhorado na sua empresa.

Seu panfleto ou o seu anúncio no jornal fazem tudo isso? Pois o seu website ou o website da sua empresa pode fazer. Ele é o seu estabelecimento virtual, com funcionários trabalhando 24 horas por dia para você e, praticamente, de graça. A função do seu website é servir ao seu cliente, tal qual é a função do seu negócio.

Derrubando mitos

Sim, eu entendo meu primo. Ele tem uma pequena empresa (eu também tenho uma) e o website da loja não estava entre as prioridades dele ou ele não tinha tempo nem dinheiro para investir nisso.

Sobre a questão do tempo: boas empresas o ajudarão com toda a parte técnica referente à criação e hospedagem do site, exigindo o mínimo do seu tempo. Nesse caso, você só precisará se “preocupar” em falar sobre a sua empresa e em usar o seu tempo para atender os seus clientes.

Sobre a questão do dinheiro: da mesma forma que há móveis de todos os preços e para todos os bolsos, há websites de todos os preços e para todos os bolsos. Você não precisa começar adquirindo uma Loja Virtual equipada com a última palavra em tecnologia e integrada aos mais modernos sistemas de pagamento online (como o PagSeguro, o Pagamento Digital ou o MoIP) e com os Correios. Comece pequeno e simples! Tenha um bom website, com as informações básicas sobre a sua loja e sobre como os seus clientes podem entrar em contato com você. Por exemplo, A Studio Fast tem sites simples e profissionais a preços acessíveis. À medida que a sua loja “física” for crescendo, invista no seu website para que ele acompanhe esse crescimento: inclua uma área para publicar artigos e notícias, outra para as perguntas mais frequentes sobre os seus produtos, uma funcionalidade de busca para o site e assim por diante, até que seu website torne-se a ferramenta ideal para atender os seus clientes.

 

Precisa de ajuda? Tem alguma dúvida, sugestão, elogio ou reclamação? Clique aqui e fale conosco usando o que você preferir: telefone, SMS, e-mail, formulário de contato, Facebook, … Nós nos interessamos em saber o que você tem a dizer e em ajudá-lo da melhor forma possível. Sempre.

 

Leia também:

Daniel Henrique Alves Lima

Atualmente, dedico-me a ajudar pequenas empresas a começarem na Internet ou a melhorarem sua presença na web, através de seus sites e blogs, construindo uma boa e reputação online. Esta servirá para se aproximarem de seus clientes atuais e para alcançarem novos clientes, gerando mais negócios.

Saiba mais sobre mim no site da Onbiz ou acessando meu blog pessoal.

Mais posts

Siga-me:twitterlinkedin

Nenhum comentário

Deixe um comentário


+ 1 = nove